Não é preciso ser um especialista para perceber que as criptomoedas se popularizaram em todo o mundo nos últimos anos. Se antes era reduto de pequenos grupos, hoje estão presentes em diversas áreas e movimentam uma quantia significativa de dinheiro.

Entretanto, esse cenário positivo também carrega um ônus: a presença de tentativas de golpes e fraudes. Uma dessas artimanhas está chamando a atenção de empresas e investidores: o Rug Pull, literalmente a “puxada no tapete” em inglês.

Esse golpe rapidamente se posiciona como o mais comum no universo dos criptoativos. Do total roubado desse segmento em 2021, mais de um terço (37%) foi proveniente deste golpe, segundo estudo da Chainalysis.

De modo prático, é uma fraude que faz as pessoas investirem em tokens que não possuem valor e funcionalidade. Depois que alcançam uma boa quantia, os criminosos simplesmente abandonam o projeto e deixam os envolvidos com o prejuízo.

Não é tão simples detectar o Rug Pull entre os criptoativos. Por isso, a adoção de alguns hábitos é primordial para não cair na armadilha. Confira os principais recursos:

1 – Investigue quem está por trás do token

Todo token possui um desenvolvedor por trás, seja um profissional específico, seja uma empresa. Portanto, a primeira recomendação de segurança é fazer uma análise de quem é o responsável pelo projeto. Levante todo o histórico e, em qualquer sinal de problema, reflita bem se merece, ou não, seu investimento. Uma alternativa interessante é buscar apoio na comunidade dos usuários de criptomoedas, como Reddit e Discord, se há engajamento ou desconfiança em torno do ativo.

2 – Desconfie de promessas com ganho fácil

Para que o Rug Pull aconteça, é necessário atrair a atenção de pessoas interessadas em investir naquele token. Para isso, os golpistas utilizam como tática a promessa de ótimo retorno financeiro, com lucros grandes. A questão é que o velho ditado popular sempre é válido: quando a esmola é demais, o santo desconfia. Mesmo com alta volatilidade característica dos criptoativos, fique de olho e desconfie quando um token desconhecido promete entregar resultados acima do mercado.

3 – Acompanhe a flutuação do mercado

O segundo tópico está relacionado ao terceiro hábito que todo investidor em criptoativos precisa ter. Ou seja, acompanhar a flutuação inerente dos tokens e moedas. Isso ajuda a identificar opções que estão fora da curva, ou seja, cresceram de forma exponencial sem qualquer motivo aparente. Mesmo conhecido pela descentralização, o universo cripto não escapa de fatores que contribuem para sua valorização ou não. Novamente, é melhor se precaver e analisar antes de simplesmente colocar seu dinheiro nesses recursos.

4 – Atente-se ao ambiente de negociação

Esse tipo de golpe pode ocorrer em qualquer plataforma ou corretora, mas é mais comum em exchanges descentralizadas que funcionam de maneira automática e com poucas regras. Isso porque nelas qualquer pessoa pode simplesmente incluir, negociar e vender tokens – o que facilita a ação dos criminosos. Portanto, atente-se também ao ambiente em que a negociação vai ocorrer. Busque as corretoras mais reconhecidas no mercado e que exigem regras para negociação.

5 – Mantenha-se atualizado com os criptoativos

Por fim, todo investidor precisa manter a iniciativa de se informar e atualizar sobre o setor dos criptoativos. Para qualquer investidor, o conhecimento é a chave para encontrar não apenas boas oportunidades de negócio, como também evitar golpes e armadilhas no caminho. Portanto, faça cursos, confira notícias e estude bastante por meio de livros, vídeos e artigos de profissionais e empresas especializadas. Assim, fica mais fácil identificar quando estão tentando puxar o seu tapete.

Fonte: MoneyTimes

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *